Dólar comercial fecha em queda de 0,35% a R$ 1,70

No mês, a divisa registra alta de 0,47% e no ano, queda de 2,47%

Silvana Rocha, da Agência Estado,

25 de outubro de 2010 | 17h41

O dólar comercial fechou em queda de 0,35% a R$ 1,70 no mercado interbancário de câmbio. No mês, a divisa registra alta de 0,47% e no ano, queda de 2,47%. Na BM&F, a moeda encerrou com perda de 0,40% a R$ 1,6997. O euro comercial registrou leve queda de 0,04% a R$ 2,376.

Antes do fechamento dos negócios o ministro da Fazenda, Guido Mantega, convocou entrevista coletiva. Mas, ao contrário do que se esperava, o ministro não anunciou nenhuma nova medida cambial; apenas fez avaliações sobre os desdobramentos da reunião de ministro do G-20 no último fim de semana, além de comentários sobre a economia doméstica, atuação do BC e o efeito dos gastos públicos sobre juros e ajuste fiscal.

Apesar de um fluxo cambial pequeno, segundo operadores consultados, o Banco Central manteve a realização de dois leilões de compra de moeda no segmento à vista. Na primeira atuação, mais cedo, o BC fixou a taxa de corte em R$ 1,7015 e, no leilão à tarde, em R$ 1,7080.

No exterior, o euro sustentou leve valorização ante o dólar durante à tarde, após superar US$ 1,40 pela manhã. A moeda norte-americana atingiu nova mínima (menor cotação) em 15 anos diante do iene, a 80,41 ienes, e analistas acreditam que vai testar em breve o nível de 79,75 ienes - o menor patamar desde a Segunda Guerra Mundial, atingido em abril de 1995. Os investidores reagiram à decisão dos países do G-20 de evitar uma "desvalorização competitiva" de suas moedas. Embora o acordo não seja obrigatório, foi suficiente para libertar os investidores do receio de que os governos pressionem por uma queda de suas moedas.

Câmbio turismo

Nas operações de câmbio turismo, o dólar fechou em alta de 0,57% e foi negociado em média à R$ 1,773 na ponta de venda e a R$ 1,657 na compra. O euro turismo fechou com alta de 0,53% a R$ 2,47 (venda) e R$ 2,317 (compra).

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólarMantega

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.