Dólar comercial fecha na máxima, a R$ 2,253 (+0,36%)

Influenciado pela piora dos mercados em Nova York, o dólar comercial encerrou os negócios no mercado interbancário na cotação máxima do dia, a R$ 2,253, em alta de 0,36%. A mínima registrada foi de R$ 2,230. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar negociado à vista também acompanhou o cenário externo e reduziu suas quedas, mas ainda assim terminou o dia em baixa (-0,22%, a R$ 2,249). Segundo operadores consultados, o recuo mais forte das Bolsas em Wall Street e a alta mais acentuada dos juros dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos durante à tarde estimularam redução de posições vendidas (apostando na baixa) em câmbio. "Os investidores acreditam que a volatilidade externa tende a continuar, mas a possibilidade de mais dois aumentos do juro dos Fed Funds (juro de curto prazo americano), na reunião de 29 de junho e de 8 de agosto, justifica vendas de ações nas bolsas internacionais e também ajustes de posições em câmbio", comentou um profissional.

Agencia Estado,

19 de junho de 2006 | 16h59

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.