Dólar comercial fecha na mínima a R$ 2,19, (-0,59%)

O dólar comercial fechou em queda hoje, influenciado pelo anúncio do pacote de medidas cambiais e pela melhora do cenário externo após a divulgação do Livro Bege, do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA). A moeda caiu 0,59%, e terminou cotada a R$ 2,19, na mínima do dia, no mercado interbancário. A cotação máxima registrada hoje foi de R$ 2,215. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros, o dólar negociado à vista recuou 0,54%, também para a mínima de R$ 2,19. As medidas cambiais, anunciadas pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, no início da tarde, vieram dentro do esperado e foram bem recebidas pelo mercado. Mantega afirmou que uma medida provisória está sendo editada para dar ao Conselho Monetário Nacional (CMN) o poder de dispensar a cobertura cambial de uma parte das exportações. O CMN poderá decidir por um porcentual de zero a 100% das exportações. Mantega ressaltou, no entanto, que na próxima reunião do CMN será fixado um porcentual de 30%. O governo também decidiu, segundo o ministro, isentar esses recursos de CPMF. Em seguida, o Fed divulgou o Livro Bege, sumário sobre as condições da economia norte-americana que servirá de base para a decisão da nova taxa de juros do país, que será tomada na próxima reunião do banco central dos EUA, em 8 de agosto. Segundo o documento, a economia norte-americana continuou a crescer de meados de junho ao início de julho, mas mostrou sinais de desaceleração, pois os gastos com consumo pessoal se reduziram e a atividade no setor de imóveis residenciais foi moderada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.