Dólar comercial na BM&F abre em queda, a R$ 2,214

O dólar comercial abriu hoje em queda de 0,23%, a R$ 2,214 na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). Segundo analistas, a melhora do ambiente externo na manhã desta terça-feira deve trazer alívio ao mercado de câmbio doméstico, que nos últimos dias foi pautado pela proximidade das eleições presidenciais e pela tensão com o cenário internacional. Na Europa, as principais bolsas de valores operam em alta expressiva, refletindo, entre outros fatos, a valorização de ações de empresas mineradoras e de energia. Isso significa que o dia promete ser mais tranqüilo para o segmento de commodities, que registra perdas acentuadas e afeta a perspectiva e os preços dos ativos de países emergentes, entre eles o Brasil. Os mercados futuros das bolsas de Nova York também sinalizam um dia de alta. As taxas de juros dos títulos do Tesouro (Treasuries) dos Estados Unidos sobem, após terem refletido ontem fortes temores em relação ao futuro da atividade econômica dos EUA. A volatilidade das cotações hoje deve ser dada também pelos acontecimentos políticos e pelas informações relativas à economia dos EUA. A Confederação Nacional dos Transportes (CNT) e o Instituto Sensus divulgam hoje, às 11 horas, os resultados da 86ª Pesquisa CNT/Sensus sobre as intenções de voto para as eleições presidenciais. A pesquisa ouviu 2 mil pessoas entre os dias 22 e 24 de setembro em 195 municípios. Desta vez, os entrevistados responderam se haviam acompanhado o caso do dossiê contra candidatos tucanos e se tal episódio poderia mudar a intenção de voto do eleitor para presidente da República. O mercado deve acompanhar atento. Na economia, o destaque interno é a divulgação, pelo Tesouro Nacional, a partir das 15 horas, do resultado de agosto do Governo Central. A mediana das projeções do mercado para as contas de agosto é de superávit de R$ 3,5 bilhões, com o piso das estimativas em R$ 3 bilhões e o teto em R$ 4,3 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.