Dólar comercial recua, após cinco altas seguidas

Cenário nos EUA sofre deterioração com falta de consenso nas medidas para cortar déficit

Cristina Canas, da Agência Estado,

22 de novembro de 2011 | 10h21

O dólar comercial era negociado em queda de 0,22%, a R$ 1,802, por volta das 10h15. Ontem, a moeda norte-americana fechou em alta pela quinta vez consecutiva e ultrapassou a marca de R$ 1,80.

Um dos grandes temores que os mercados demonstravam ontem concretizou-se: os políticos norte-americanos não conseguiram consenso nas medidas para cortar o déficit do país em US$ 1,2 bilhão pelos próximos 10 anos. Mas o presidente dos EUA, Barack Obama, veio a público para afirmar que o déficit do país será reduzido "de uma maneira ou de outra" e prometeu vetar qualquer tentativa de barrar esse objetivo.

Além disso, as agências de classificação de risco Moody''s e Standard & Poor''s apressaram-se em afirmar que a falta de acordo entre republicanos e democratas não afeta o rating dos EUA. Já a Fitch, que havia atrelado a decisão sobre a revisão do rating norte-americano às medidas sobre o déficit, declarou que um eventual rebaixamento será na perspectiva, que ficaria negativa, e não no grau de investimento. E pronto, os mercados arrumaram as desculpas que precisavam para realizar os lucros obtidos com as fortes movimentações de ontem. A Europa também colabora com o rumo, mantendo os riscos de crédito em queda, na manhã desta terça-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarcâmbiocotação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.