Dólar comercial sobe 0,05% e fecha a R$ 2,093

Após duas quedas seguidas e oscilar em baixa até o meio da tarde de hoje, o câmbio fechou em alta. Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar à vista encerrou o pregão com ganho de 0,12%, cotado a R$ 2,093. No mercado interbancário, o dólar comercial terminou também a R$ 2,093, com valorização de 0,05%. O câmbio devolveu a queda registrada desde a abertura logo após o resultado do leilão do Banco Central (BC), acompanhando o avanço simultâneo do dólar futuro para março na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). O fato de o BC ter aceitado 9 propostas - sendo que houve dez propostas com taxas declaradas e sete sem identificação dos valores apresentados -, pagando taxa acima do preço de mercado na hora do leilão, provocou demanda por moeda no mercado à vista e a correção da moeda logo após o fim da operação. O Banco Central pagou no leilão taxa de corte de R$ 2,092. O recuo do dólar pela manhã foi sustentado, segundo operadores, pelos dados da economia dos Estados Unidos que mostraram desaquecimento da atividade, o que pode reduzir a pressão sobre a inflação. No testemunho do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Ben Bernanke, à Câmara de Deputados dos EUA, repetiu o discurso de ontem, dizendo que a economia do país possivelmente está "mais forte do que pensamos" e reiterou que a autoridade monetária poderá elevar a taxa básica de juros se a inflação se acelerar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.