Dólar comercial sobe 0,37% e fecha a R$ 1,628

Na Bolsa de Mercadorias & Futuros, o dólar negociado à vista fechou em alta de 0,21% a R$ 1,6279

Silvana Rocha, da Agência Estado,

25 de maio de 2011 | 17h05

Num dia de pouca oscilação das taxas, o dólar comercial fechou em alta de 0,37% hoje, cotado a R$ 1,628 no mercado interbancário de câmbio. A mínima registrada durante os negócios foi de R$ 1,626 e a máxima, de R$ 1,632. No mês, o dólar comercial acumula alta de 3,43% e no ano, queda de 2,16%. Na Bolsa de Mercadorias & Futuros, o dólar negociado à vista fechou em alta de 0,21% a R$ 1,6279. O euro comercial registrou avanço de 0,22%, cotado a R$ 2,295 no fechamento das transações no mercado interbancário.

As cotações do dólar à vista e no mercado futuro subiram hoje por causa de apreensões dos investidores relacionadas ao mercado externo, como um eventual não pagamento da dívida da Grécia e em relação à desaceleração da economia da China, que já vêm afetando a precificação dos mercados em geral nos últimos dias.

O Banco Central realizou um leilão de compra de dólar no mercado à vista à tarde, no qual fixou a taxa de corte das propostas em R$ 1,6298.

O fluxo cambial negativo de 16 a 23 de maio em US$ 472 milhões não surpreendeu, uma vez que as taxas do cupom cambial haviam subido na semana passada já refletindo mais saídas de recursos do que ingressos, disse um operador de tesouraria de um banco nacional. Nesta quarta-feira, o fluxo cambial foi aparentemente equilibrado, disseram fontes consultadas pela Agência Estado, apesar de alguns comentários, não confirmados, de que teria sido registrada um saída grande de importador ou devolução de empréstimo externo.

Câmbio turismo

Nas operações de câmbio turismo, o dólar subiu 0,99% hoje, cotado a R$ 1,73 na ponta de venda e a R$ 1,587 na compra. O euro turismo subiu 0,70%, para R$ 2,437 na venda e R$ 2,267 na compra.

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólareuromoedas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.