Dólar comercial sobe na abertura, cotado a R$ 2,146

O Câmbio abriu hoje em alta de R$ 2,146 nos dois mercados. Porém, o porcentual de valorização é que foi diferente. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar à vista subia 0,06% na abertura, enquanto o dólar comercial registrava ganho de 0,05% no início dos negócios. O centro das atenções do mercado internacional nesta sexta-feira de meio feriado nos Estados Unidos é o resultado das vendas do varejo em dezembro. Depois que os investidores foram surpreendidos pela alta de juros da Inglaterra ontem, as expectativas para a trajetória das taxas norte-americanas cresceu ainda mais e seguem como um dos principais temas a pautar os investidores. A temporada de balanços também interfere bastante nas decisões de negócios, assim como o comportamento do petróleo e das commodities metálicas. A expectativa dos especialistas é que os números no varejo dos EUA continuem corroborando as avaliações de economia aquecida. Os dados mais recentes apontaram nessa direção fazendo crescer as avaliações de que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) tenderá a manter a taxa de juro básica do país estável na sua próxima reunião, nos dias 30 e 31. Ainda nos Estados Unidos serão divulgados os dados de estoques das empresas em novembro. Também a presidente do Federal Reserve Bank de Boston, Cathy Minehan, discursa em conferência. Vale ressaltar que alguns mercados fecham mais cedo nos EUA, por causa do feriado da próxima segunda-feira (Dia de Martin Luther King Jr.). Isso tende a reduzir e concentrar as transações do mercado doméstico no período da manhã e intensifica o ambiente de cautela. O preço do petróleo, cuja volatilidade tem sido determinante para o comportamento de outros ativos ao redor do mundo, apresentava alta de mais de 1% tanto em Londres, quanto nos EUA. O motivo, segundo especialistas, é a previsão de frio na região Nordeste dos EUA. No mercado de commodities metálicas, o destaque até o momento é o ouro, que subia mais cedo, movido pelo ataque a míssil contra a Embaixada dos Estados Unidos em Atenas. Internamente, o destaque é a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que registrou taxa de 0,48% em dezembro, ante 0,31% em novembro. No ano, o IPCA acumula alta de 3,14%. Ambos ficaram dentro das estimativas de analistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.