Dólar comercial valoriza-se 0,37% e fecha a R$ 2,1520

Pelo terceiro dia consecutivo, o câmbio fechou com valorização. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar à vista terminou valendo R$ 2,152, em alta de 0,41%. No mercado interbancário, o dólar comercial subiu 0,37% e também fechou a R$ 2,152. O dólar bateu níveis de stop loss (prevenção de prejuízo) de compra à tarde, pressionado pela queda forte da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) na esteira de baixa mais acentuada das Bolsas em Nova York. "Os investidores compraram dólar e venderam ações, demonstrando preocupação desencadeada por rumores não confirmados em torno de eventuais perdas amargadas por fundos que investem em commodities", disse um operador. Em conseqüência dos rumores, a Bovespa chegou a se desvalorizar 3,93% na mínima, operando abaixo dos 43 mil pontos. O dólar na BM&F e comercial bateram a máxima, a R$ 2,1560. Por trás dessa piora de humor dos investidores esteve a aceleração das perdas das bolsas em Nova York e dos metais no exterior. Além disso, os preços do petróleo, que ensaiaram recuperação no decorrer da manhã, retomaram a trajetória descendente. Com isso, as ações preferenciais de Petrobras chegaram a cair 5,35% no pior momento na Bovespa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.