Dólar comerical opera instável nesta segunda

Moeda americana abriu semana em queda, mas, pouco tempo depois, já iniciava alta

Fernando Travaglini, da Agência Estado,

17 de março de 2014 | 10h05

SÃO PAULO - O dólar abriu o dia em queda ante o real, acompanhando as perdas externas diante de divisas ligadas a commodities. Mas, pouco tempo após o início de pregão, o ajuste negativo perdeu força e virou. A moeda americana era vendida no Brasil por R$ 2,353, em alta de 0,09%, por volta das 10h30.

No mercado de moedas, há certa busca por proteção, com o iene alcançando o maior nível desde o início de fevereiro ante o dólar e o euro cedendo abaixo de US$ 1,39. A moeda única é penalizada também pelo dado de inflação da zona do euro, novamente abaixo do esperado.

Na China, no primeiro dia da nova banda de flutuação, anunciada no sábado pelo BC do país, a moeda chinesa cedeu ao menor nível em 11 meses ante a rival norte-americana. No mercado de balcão, o dólar estava em 6,1781 yuans no fim do dia em Xangai, ante 6,1502 yuans no fechamento de sexta-feira. A moeda norte-americano chegou a operar a 6,1818 yuans, atingindo o maior nível desde 22 de abril.

Os investidores digerem ainda uma série de informações vindas de fora. A Crimeia aprovou sua anexação à Rússia e os mercados globais abrem a segunda-feira de olho na resposta do Ocidente ao referendo sobre o assunto. Nos Estados Unidos, na quarta-feira termina a primeira reunião do Federal Reserve sob o comando de Janet Yellen, que atende à imprensa após o encontro.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarabertura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.