Dólar e juros caem após dados de emprego nos EUA

O dólar ampliou a trajetória de queda que apresentava desde a abertura dos negócios em resposta à reação inicial que os mercados internacionais tiveram aos dados de emprego nos Estados Unidos. Pautados por esses números, os investidores deram sinais de que acreditam que a expansão da economia norte-americana está sob controle, afastando a idéia de que o aperto monetário da maior economia do mundo venha a se intensificar além do previsto. Assim, os juros dos títulos do Tesouro dos EUA, que subiam antes da divulgação do indicador (às 10h30), inverteram a trajetória e passaram a cair. Seguindo esse movimento, o dólar bateu consecutivas mínimas até atingir R$ 2,138, no pregão à vista da Bolsa de Mercadorias & Futuros. Às 11h25, a moeda era cotada a R$ 2,147 (-0,60%), já o dólar comercial caía 0,88%, a R$ 2,142. Os juros futuros tiveram pequena queda após os dados de trabalho norte-americanos, acompanhando a virada para baixo das taxas dos títulos do Tesouro nos Estados Unidos e o movimento do dólar aqui (buscando as mínimas). Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), as projeções das taxas de juros a partir dos contratos futuros de DI (depósito interfinanceiro) com vencimento em janeiro de 2008, que já vinha recuando antes, estavam em 14,70% no momento da divulgação do dado e recuou para 14,69%; a taxa do DI de janeiro de 2007 caiu de 15,18% para 15,15%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.