Dólar encerra abril com queda de 0,89% ante o real

Formação da Ptax ajudou a manter o dólar em baixa, que fechou em -0,20% e já acumula perdas de 2,10% no ano

Luciana Antonello Xavier, da Agência Estado,

30 de abril de 2013 | 17h13

Sinais mais otimistas sobre a economia dos Estados Unidos e a disputa pela formação da Ptax ajudaram a manter o dólar em baixa ante o real nesta terça-feira, 30, véspera de feriado do Dia do Trabalho no Brasil. O dólar à vista no balcão fechou em queda de 0,20%, a R$ 2,0020, após oscilar de R$ 1,997 (-0,45%) a R$ 2,0060 (estável).

A moeda norte-americana também desvalorizava nesta terça-feira em relação ao euro, iene e moedas ligadas a commodities. Os investidores em geral estão à espera das decisões e comunicados dos bancos centrais dos EUA e da Europa, que serão conhecidos na quarta-feira e na quinta-feira, respectivamente.

Em abril, o dólar perdeu 0,89% e, no ano, 2,10%. Às 16h40 no mercado futuro, o dólar para maio de 2013, que será liquidado na quinta-feira, 02, caía 0,37%, a R$ 2,002. O contrato de dólar para junho de 2013 tinha queda de 0,30%, a R$ 2,012.

Nos EUA, o índice de confiança do consumidor norte-americano medido pelo Conference Board subiu para 68,1 em abril, de uma leitura revisada de 61,9 em março, superando expectativa de avanço mais modesto do indicador em abril, para 62,0. Outra boa surpresa foi a alta dos preços das residências nas 20 maiores áreas metropolitanas dos EUA, de 9,3% em fevereiro ante igual mês do ano passado, segundo a pesquisa S&P/Case-Shiller, a maior alta desde maio de 2006. Nas 10 maiores áreas metropolitanas do país, o aumento nos preços foi de 8,6%.

Perto das 17 horas, o euro estava em US$ 1,3165, ante US$ 1,3099 no fim da tarde de segunda-feira, 29. O dólar caía a 97,51 ienes, de 97,77 ienes na véspera. A moeda dos EUA caía em relação à maioria das moedas ligadas a commodities, como o dólar australiano (-0,17%), o dólar canadense (-0,42%); o dólar neozelandês (-0,11%); a rupia indiana (-1,00%); o peso mexicano (-0,40%); o rand sul-africano (-0,13%), mas subia ante o rublo russo (+0,62%) e estava perto da estabilidade em relação ao peso chileno (+0,03%).

Tudo o que sabemos sobre:
mercadodólarfechamentoabrilqueda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.