Dólar encerra em baixa discreta após pregão volátil

A moeda dos EUA cedeu 0,27% , cotada a R$ 2,244, depois de variar 0,53% tanto na máxima quanto na mínima

Fabrício de Castro, da Agência Estado,

25 de julho de 2013 | 17h29

Numa sessão marcada pela volatilidade, o dólar fechou em baixa ante o real no mercado à vista de balcão, embora a moeda norte-americana tenha permanecido boa parte da tarde em alta nesta quinta-feira, 25. A desconfiança em relação à economia brasileira e a tendência de elevação para o dólar no País, considerando o cenário nos Estados Unidos, voltaram a ser citados como motivos para a valorização, mas no fim da sessão a divisa se reaproximou da tendência externa, onde o dólar caía ante boa parte das divisas de países ligados a commodities. No fim dos negócios, o dólar caiu 0,27% no balcão, cotado a R$ 2,2440.

Mais cedo, a moeda dos EUA chegou a oscilar no território negativo, após duas intervenções do Banco Central (BC): a primeira, ao fazer leilão de swap cambial (equivalente à venda de dólares no mercado futuro) e, a segunda, ao anunciar nova oferta para sexta-feira, 26. Na mínima do dia, vista às 11h04, sob a influência desses fatores, o dólar no balcão foi cotado a R$ 2,2380 (-0,53%).

A baixa durou pouco e perto das 13 horas a moeda norte-americana renovava as máximas em relação ao real. Às 13h05, registrou a máxima de R$ 2,2620 (+0,53%).

Embora as operações de swap normalmente tenham o efeito de conter a alta do dólar, profissionais lembraram que as dos últimos dias têm um objetivo claro: a rolagem dos contratos que vencerão no início de agosto. Assim, os efeitos no câmbio diário são pequenos.

"A moeda hoje trabalhou dos dois lados, o de baixa e o de alta. O BC fez rolagem de swaps, mas o mercado é comprador (de dólares). Por isso o dólar sobe", comentou um profissional à tarde, justificando a alta no Brasil, naquele momento, a despeito de a divisa estar caindo no exterior em relação a divisas como o euro, o iene, o dólar australiano e o dólar canadense. Na reta final, o dólar voltou a oscilar em baixa ante o real, tentando se alinhar ao exterior.

Às 16h50 (horário de Brasília), o dólar caía 0,98% ante o dólar australiano, cedia 0,45% ante o canadense e tinha baixa de 1,32% ante o neozelandês. No Brasil, o dólar para agosto negociado no mercado futuro - que encerra operações apenas às 18 horas - tinha baixa de 0,69%, para R$ 2,24050.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.