Dólar encerra em leve queda com trégua no exterior

A moeda dos EUA fechou a R$ 1,9940, com recuo de 0,05%, após ceder 0,05% na mínima e subir 0,25% na máxima

Luciana Antonello Xavier, da Agência Estado,

16 de abril de 2013 | 17h17

O dólar encerrou em queda discreta ante o real nesta terça-feira, 16, em meio ao clima mais tranquilo nos mercados internacionais, passado o choque da véspera pelo atentado a bomba em Boston e a decepção com os dados da China. Foi, no entanto, uma sessão volátil. A reunião de dois dias do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que começa nesta tarde, também esteve no radar.

O dólar à vista no balcão fechou em queda de 0,05%, a R$ 1,9940. A mínima foi de R$ 1,9830 (-0,05%) e a máxima, de R$ 2,00 (+0,25%). Perto das 17 horas, o giro financeiro à vista era de US$ 2,669 bilhões. No mesmo horário, no mercado futuro, o dólar para maio de 2013 caía 0,52%, a R$ 1,9955.

Apesar dos sinais de arrefecimento nos preços trazidos pelo IGP-10 de abril, o discurso da presidente Dilma Rousseff reforçou as apostas de alta da Selic. "Não negociaremos a inflação. Nós não teremos o menor problema em atacá-la sistematicamente", disse a presidente. A inflação de abril medida pelo IGP-10 subiu 0,18% ante alta de 0,22% em março, ficando abaixo das estimativas de analistas ouvidos pelo AE-Projeções, que esperavam uma taxa de 0,25% a 0,47%.

Do lado positivo, estão indicadores dos Estados Unidos que vieram melhor do que o esperado. Do lado negativo, estão dados da economia europeia. Notícias relacionadas ao Banco do Brasil, após a suspensão da abertura de capital da BB Seguridade Participações, braço de seguros do Banco do Brasil, foram acompanhadas de perto. Segundo um operador de tesouraria de banco, a notícia do BB frustrou as expectativas do mercado de ingresso de capitais.

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiofechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.