Dólar estende rali com alta de vendas no varejo dos EUA

O dólar estendeu o rali nesta segunda-feira, com a alta inesperada nas vendas no varejo dos Estados Unidos aumentando a expectativa por uma diminuição dos estímulos do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) este ano. A moeda do país saltou ante o iene, o euro e outras divisas após a notícia de que as vendas no varejo subiram 0,1% em abril, contrariando a previsão de queda de 0,4%. O dólar australiano atingiu o menor nível em 11 meses ante o dólar. Esse foi mais um entre os dados recentes que vêm fazendo diminuir as preocupações com a perspectiva econômica do país. Com o otimismo ressurgindo, aumenta a possibilidade de o Fed iniciar o aperto monetário na segunda metade do ano, o que retiraria liquidez do mercado e impulsionaria o dólar.

AE, Agencia Estado

13 de maio de 2013 | 18h49

O dólar começou o rali após o relatório de emprego norte-americano, divulgado no dia 3, mostrar que a taxa de desemprego caiu para 7,5%, o menor nível desde dezembro de 2008. O rali da moeda ganhou força na última quinta-feira, 9, após a moeda superar a barreira de 100 ienes pela primeira vez em quatro anos.

Uma reportagem do "Wall Street Journal" afirmou que o Fed mapeou uma estratégia para desacelerar, gradualmente, o programa de compra de bônus de US$ 85 bilhões mensais quando os membros do BC americano sentirem confiança na recuperação da economia do país. Sinais mais claros sobre os planos do Fed podem surgir nesta semana, à medida que cinco presidentes de regionais da instituição financeira fizerem pronunciamentos. No próximo sábado (18), o presidente do Fed, Ben Bernanke, debaterá as perspectivas econômicas de longo prazo num discurso em Nova York e os participantes dos mercados observarão se ele tocará no assunto.

"Esse rali do dólar é mais sustentável do que os últimos porque está sendo motivado pela força da economia dos EUA", disse o estrategista de câmbio do Barclays em Nova York, Aroop Chatterjee. "Existem as expectativas de que o Fed pode diminuir as compras de ativos antes que o esperado."

O dólar chegou a superar 102 ienes durante a sessão desta segunda-feira pela primeira vez desde outubro de 2008, mas, no fim da tarde em Nova York, estava em 101,82 ienes, de 101,64 ienes no fim da tarde de sexta-feira, 10. O dólar australiano caía para US$ 0,9954, de US$ 1,0026, após atingir a mínima desde junho de 2012 a US$ 0,9940. O euro recuava para US$ 1,2975, de US$ 1,2990, e tinha queda para 132,11 ienes, de 132,25 ienes. A libra esterlina recuava para US$ 1,5294, de US$ 1,5363. O índice Wall Street Journal Dollar, que mede o dólar frente a uma cesta de moedas, subia para 74,818 pontos, de 74,654 pontos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
dólareurofechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.