Dólar fecha a R$ 1,615, queda de 1,34% na semana

Na BM&F, o dólar à vista fechou a R$ 1,6146, pequeno recuo de 0,04%

Márcio Rodrigues, da Agência Estado ,

20 de maio de 2011 | 17h14

Sem indicadores que pudessem dar um rumo claro ao mercado de câmbio, as moedas seguiram em direções diversas hoje, com o euro perdendo força em relação ao dólar, enquanto o real valorizou-se levemente ante a moeda norte-americana, depois de variar entre o terreno positivo e negativo ao longo do dia. O destaque no âmbito doméstico foi o volume negociado na clearing de câmbio da BM&F, que superou os US$ 4 bilhões. Operadores desconfiam de que houve uma saída de recursos balizada pela Ptax, o que incentivou negócios.

O dólar comercial fechou cotado a R$ 1,615 no mercado interbancário de câmbio, leve baixa de 0,06% no dia. Na taxa máxima registrada hoje durante os negócios, a divisa norte-americana chegou a subir 0,43%, a R$ 1,623. Na mínima, caiu a R$ 1,611 (-0,31%). Na semana, a divisa dos EUA recuou 1,34%, elevando a queda no ano para 2,94%. No mês, porém, o dólar sobe 2,60%. Na BM&F, o dólar à vista fechou a R$ 1,6146, pequeno recuo de 0,04%. O Banco Central fez apenas um leilão de compra de dólares no mercado à vista, cuja taxa de corte ficou em R$ 1,6135. O euro comercial caiu 0,87% a R$ 2,292.

Em entrevista ao The Wall Street Journal e à agência Dow Jones, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que os fluxos de entrada de dólares no Brasil estão retornando para os níveis normais, e o real começará a se desvalorizar quando as taxas de juros começarem a subir nos EUA e na Europa. "Quando houver uma mudança na política monetária nos países avançados, o real se desvalorizará", disse Mantega.

No exterior, o destaque é o recuo do euro, que reage a mais uma má noticia sobre a Grécia. A agência de classificação de risco Fitch Ratings rebaixou a classificação do país. De acordo com comunicado da Fitch, o rebaixamento da Grécia reflete a escala do desafio enfrentado pelo país para implementar um programa de reforma estrutural e fiscal necessário para assegurar a solvência do Estado e as bases para uma recuperação econômica sustentada. Diante deste quadro, por volta das 17 horas, o euro cedia a US$ 1,417, de US$ 1,431 no fim da tarde de ontem em Nova York.

Câmbio turismo

Nas operações de câmbio turismo, o dólar teve queda de 1,40%, cotado na venda a R$ 1,693 e na compra a R$ 1,59. O euro turismo recuou 0,95% hoje, para R$ 2,41 (venda) e R$ 2,267 (compra).

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólareuroMantega

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.