ANDRE LESSA/ESTADÃO
ANDRE LESSA/ESTADÃO

Dólar fecha em alta de 0,66%, cotado a R$ 3,03

Valorização da moeda foi puxada por ganhos do dólar ante outras moedas exterior

CLARISSA MANGUEIRA, O Estado de S. Paulo

19 Maio 2015 | 16h56


SÃO PAULO - O dólar fechou em alta ante o real, conduzido pelo avanço registrado ante outras divisas no exterior, mas bem abaixo das máximas do dia, limitado pela melhora de percepção dos investidores sobre o Brasil.

No fechamento, o dólar à vista subiu 0,66%, aos R$ 3,03. O volume de negócios totalizava US$ 850 milhões, por volta das 16h30. No mesmo horário, o dólar para junho avançava 0,93%, aos R$ 3,05.

O dólar à vista iniciou a sessão em baixa, pressionado por expectativas de novos fluxos cambiais para o País, mas logo se alinhou à alta exibida no mercado futuro e no exterior. A valorização da moeda dos EUA ante seus pares internacionais foi impulsionada pela alta das construções de moradias iniciadas em abril, de 20,2% na comparação com março, para a média anualizada de 1,135 milhão de unidades; economistas previam 1,1 milhão. O número de abril é o mais alto desde novembro de 2007 e a variação porcentual é a maior desde fevereiro de 1991.

A queda do euro com comentários de membros do Banco Central Europeu (BCE) também influenciou o comportamento da moeda norte-americana. Benoît Coeuré, que integra o Comitê Executivo da instituição, afirmou que o BCE vai acelerar suas compras de bônus nas próximas semanas, por causa da redução de liquidez esperada para o período de férias de verão. Já o presidente do Banco da França, Christian Noyer, afirmou que o BCE está preparado para adotar medidas adicionais para fazer a inflação subir na direção da meta, caso o programa de relaxamento quantitativo da política monetária se mostre insuficiente para isso. Por volta das de 16h30, o euro era cotado a US$ 1,1153, de US$ 1,1314 ontem.

Mais conteúdo sobre:
dólarcambio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.