Dólar fecha em forte alta, pressionado por quadro externo

O dólar comercial acentuou a alta no meio da tarde, seguindo os avanços externos da moeda americana ante o euro e o iene e dos juros dos títulos do Tesouro norte-americano (Treasuries). No fechamento, a moeda norte-americana exibia a maior cotação do dia, negociada a R$ 2,174, em forte alta de 1,16% em relação ao fechamento dos negócios ontem. Segundo operadores, estimularam a compra de dólares no mercado os comentários de que o Banco Central (BC) poderá lançar medidas no câmbio. A questão política - relacionada às denúncias contra o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, também continuou sendo monitorada hoje. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), pelo terceiro dia útil seguido, o dólar fechou na cotação máxima, a R$ 2,173, com alta de 1,12%. Foram registrados 187 negócios, com giro financeiro de cerca de US$ 210 milhões. A moeda norte-americana abriu em alta de 0,56%, a R$ 2,161; e oscilou 1,31%, entre a menor cotação de R$ 2,142 (-0,33%) e a maior, vista no fechamento, de R$ 2,173 (+1,12%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.