Dólar fecha em forte queda, de 2,24%

Moeda americana terminou o dia a R$ 2,268, sob influência dos EUA e em ajuste atrasado por causa de feriado de sexta

Álvaro Campos, da Agência Estado,

18 de novembro de 2013 | 17h05

O dólar comercial no Brasil fechou em forte queda nesta segunda-feira, 18: recuo de 2,24%, a R$ 2,268. Trata-se de movimento de ajuste ao exterior, após os mercados domésticos ficarem fechados na sexta-feira, em função do feriado da Proclamação da República.

A correção também é atribuída ao aumento da possibilidade de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) mantenha seu programa de estímulos inalterado no próximo mês, com o dólar pressionado pela entrada de recursos no mercado local.

De acordo com operadores ouvidos pelo Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, o ingresso de recursos fez com que a valorização do real fosse maior do que a observada em outras divisas de países emergentes. Um profissional comentou que esta entrada estaria relacionada à mineradora Vale, mas também há quem cite a possibilidade de recursos relativos ao leilão do campo de Libra. Segundo fonte, a entrada teria sido de aproximadamente US$ 750 milhões pela manhã e mais US$ 150 milhões no período da tarde.

O presidente do Federal Reserve de Nova York, William Dudley, disse hoje que está ficando mais esperançoso sobre o desempenho da economia norte-americana e que prevê ganhos no mercado de trabalho, além da aceleração da inflação em direção à meta de 2%. "A redução de estímulos virá quando for o momento certo", afirmou. Os comentários, no entanto, não tiveram impacto significativo no dólar.

Enquanto isso, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) informou que a balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 808 milhões na terceira semana de novembro, levando o resultado no mês para um saldo positivo de US$ 1,724 bilhão. No ano, no entanto, a balança ainda está negativa em US$ 105 milhões.

O dólar à vista no balcão terminou a sessão cotado a R$ 2,2680 (-2,24%), após ter oscilado entre a mínima de R$ 2,2660 e a máxima de R$ 2,3030. A queda porcentual foi a maior de 18 de setembro (-2,97%). Por volta das 16h40 o volume de negociação registrado na clearing de câmbio da BM&FBovespa era de US$ 868,2 milhões. No mercado futuro, neste horário, o dólar para dezembro registrava queda de 2,09%, a R$ 2,2735. O giro estava em torno de US$ 13,8 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
dólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.