Dólar fecha estável a R$ 1,555 e cai 1,27% na semana

Na BM&F, o dólar à vista terminou em baixa de 0,17%, a R$ 1,552

Silvana Rocha, da Agência Estado ,

22 de julho de 2011 | 17h26

O dólar comercial fechou estável hoje a R$ 1,555 no mercado interbancário de câmbio, após três dias em baixa, e moveu-se nos negócios à vista na faixa de R$ 1,55, que se tornou um suporte informal de preço. Na semana, registrou desvalorização de 1,27%; em julho acumula baixa de 0,38% e, no ano, queda de 6,55%. Na BM&F, o dólar à vista terminou em baixa de 0,17%, a R$ 1,552. O euro comercial cedeu 0,13% hoje, para R$ 2,233.

Segundo operadores de câmbio consultados pela Agência Estado, o patamar de R$ 1,55 reacende o temor de novas medidas cambiais. Para o operador da Interbolsa Brasil, Ovídio Pinho Soares, com dólar no nível atual, o Banco Central pode agir. Até agora, porém, as medidas foram inócuas e, se a moeda continuar caindo, é certo que o BC entrará fazendo alguma coisa. "Deve ser alguma medida relacionada à legislação, sobre impostos, que pode atingir o mercado de derivativos cambiais, além das operações à vista. Se continuar caindo desse jeito, o BC terá de tomar medida", afirmou.

Soares avalia que o único motivo para a desvalorização do dólar ante o real hoje é a tendência de baixa da divisa, em função da nossa alta taxa de juros que atrai fluxo cambial para cá. Hoje, o fluxo cambial foi aparentemente equilibrado. No entanto, afirmou, como a Europa está "dando um jeitinho" no seu problema de dívida e os Estados Unidos também devem encontrar uma saída, a expectativa de um dólar mais fraco persiste. Soares pondera que, se não houver uma solução adequada à dívida norte-americana, será uma catástrofe. "Aí o destino da moeda é incerto, porque a situação será inédita e o dólar poderá virar pó ou subir demais", avalia. Mas o mercado ainda não precificou essa possibilidade.

O Banco Central ajudou a limitar a queda do dólar à vista com dois leilões de compra de moeda. Além disso, o patamar de R$ 1,55 vem sendo defendido fortemente no mercado por grandes bancos e fundos de hedge, por meio de operações conhecidas por "opção de barreira", que acabam direcionando a formação de preço à vista, disseram operadores de bancos e corretoras consultados pela Agência Estado. "Isso limita a queda do dólar", disse um operador de tesouraria de um banco.

Câmbio turismo

O dólar turismo caiu 2,42% hoje, cotado a R$ 1,613 na venda e R$ 1,51 na compra. No mês, acumula queda de 3,01%. O euro turismo caiu 1,28% para R$ 2,317 (venda) e R$ 2,153 (compra), com baixa acumulada de 2,93% em julho.

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólareuromoedas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.