Dólar fecha quase estável, a R$ 2,284

Com leve queda, de 0,04%, cotação da moeda americana no Brasil acompanhou tendência do câmbio no exterior  

Clarissa Mangueira, da Agência Estado, Atualizado às 17h39

25 de novembro de 2013 | 10h00

SÃO PAULO - O dólar comercial fechou o dia cotado a R$ 2,284, em queda de 0,04%. Esse viés negativo está em linha com a desaceleração da moeda americana no exterior.

A moeda americana acentuou a alta no exterior no fim da manhã e puxou junto as cotações internas, após oscilar entre margens estreitas ante o real desde a abertura. A valorização mais forte da divisa dos EUA foi amparada pelo acordo firmado ontem entre o Irã e seis países sobre o programa nuclear de Teerã. O acordo alivia as sanções econômicas em troca de medidas para conter o programa nuclear iraniano e de garantias de que o governo islâmico não vai desenvolver armas atômicas.

Às 16h45 (de Brasília), o dólar para dezembro subia 0,24%, para R$ 2,2889. A moeda não reagiu aos dados da balança comercial e nem à operação de rolagem de contratos de swaps cambiais realizada pelo Banco Central à tarde.

O relatório divulgado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) mostrou que o déficit da balança comercial na quarta semana de novembro totalizou US$ 1,350 bilhão. Mesmo assim, novembro ainda registra um superávit comercial de US$ 374 milhões no acumulado do mês, resultado de exportações de US$ 15,192 bilhões e importações de US$ 14,818 bilhões. No ano, porém, o déficit comercial brasileiro é de US$ 1,455 bilhão.

Antes do anúncio desses números, o Banco Central realizou mais uma operação de rolagem de contratos de swap cambial que vencem em 2/12/2013. A instituição vendeu todos os 20 mil contratos ofertados hoje. O valor total da operação foi de US$ 992,4 milhões. A expectativa agora é de que o BC faça a rolagem total do vencimento de dezembro.

Tudo o que sabemos sobre:
dólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.