Dólar fica sem direção clara antes da decisão do Fed

O dólar operou sem direção clara ante seus principais rivais nesta terça-feira, 30, com os investidores cautelosos antes da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) na quarta-feira. Qualquer novo sinal sobre a possível redução nos estímulos adotados pela autoridade monetária dos EUA pode impulsionar a moeda.

Agencia Estado

30 de julho de 2013 | 18h37

No fim da tarde em Nova York, o euro caía para US$ 1,3262, de US$ 1,3263 no fim da tarde da véspera. O dólar avançava para 98,05 ienes, de 97,95 ienes; a moeda comum europeia subia para 130,02 ienes, de 129,88 ienes. A libra esterlina caía para US$ 1,5241, de US$ 1,5354. O dólar recuava para 0,9298 franco suíço, de 0,9310 franco suíço. O índice Wall Street Journal Dollar Index, que pesa a moeda norte-americana ante uma cesta de rivais, tinha alta para 74,122 pontos, de 73,907 pontos.

"As pessoas esperam que o Fed dê alguma dica sobre a possível redução nas compras de bônus", disse Win Thin, estrategista de câmbio do Brown Brothers Harriman. Além do Fed, o Departamento do Comércio divulgará sua primeira estimativa para o PIB dos EUA no segundo trimestre. Os analistas esperam uma taxa de crescimento anualizada de 0,9%. Na sexta-feira, 02, o governo revela os números do mercado de trabalho (payroll), que o banco central acompanha atentamente para tomar suas decisões sobre os estímulos à economia.

Entre os indicadores divulgados mais cedo, os preços dos imóveis nas 20 maiores cidades dos EUA subiram 12,2% em maio, na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo a pesquisa da Standard & Poor''s/Case-Shiller. Os economistas esperavam alta de 12,4%. Nas 10 maiores cidades do país, os preços dos imóveis aumentaram 11,8%, também em termos anuais. Já o índice de confiança do consumidor norte-americano medido pelo Conference Board caiu para 80,3 em julho, de uma leitura revisada de 82,1 em junho. As previsões dos analistas eram de queda mais modesta do indicador em julho, para 81,3.

Enquanto isso, o dólar australiano caiu fortemente, após o banco central do país abrir a porta para um novo corte na taxa básica de juros. No fim da tarde, o dólar australiano recuava para US$ 0,9064, de US$ 0,9207 na segunda-feira. O presidente do Banco da Reserva da Austrália (RBA, na sigla em inglês), Glenn Stevens, disse que a baixa inflação no país significa que a taxa de juros pode ser reduzida, se necessário. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
moedas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.