Dólar interrompe 5 dias de queda e volta ao patamar de R$ 2,94

Moeda operou em baixa durante a maior parte do dia, mas fechou em alta com investidores cautelosos antes de indicadores importantes que serão divulgados amanhã

Clarissa Mangueira , O Estado de S. Paulo

28 de abril de 2015 | 10h00

SÃO PAULO - O dólar interrompeu uma série de cinco sessões seguidas de queda e fechou em alta nesta terça-feira, 28, ajudado por uma movimento de realização de lucros após a moeda atingir a cotação de R$ 2,88 pela manhã. No fim do dia, o dólar subiu 0,72%, a R$ 2,94. Na mínima, a moeda foi negociada a R$ 2,8850. 

O dólar operou em baixa durante a maior parte do dia, alinhado ao recuo do dólar no exterior, mas se firmou em alta nas últimas horas da sessão, à medida que os investidores se posicionavam de uma maneira mais cautelosa antes da agenda pesada de eventos e indicadores da quarta-feira. A cotação mais baixa do dólar também atraiu compras no mercado, o que ajudou a impulsionar a moeda para o território positivo. 

Está prevista na agenda doméstica, nesta quarta-feira, a divulgação do resultado primário do governo central de março, o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de abril, além da decisão do Copom sobre a taxa básica de juros. Nos EUA, serão anunciadas a primeira leitura do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre e a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed), banco central do país.

Em relação aos eventos americanos, os analistas esperam que os dados do PIB apontem desaceleração da economia no primeiro trimestre. A expectativa é que a economia registre crescimento ao redor de 1%, abaixo do nível de 2,2% do trimestre final de 2014. Em relação à reunião do Fed, os especialistas não preveem novidades em termos de mudança na política monetária. A atenção dos investidores estará concentrada nas alterações de palavras e expressões no comunicado que ainda possam manter - ou não - sobre a mesa as apostas em um aumento de juros na reunião de junho do Fomc.

No Brasil, as apostas para a alta da Selic amanhã pelo Copom estão consolidadas em 0,50 ponto porcentual, o que deve levar a taxa básica de juros para 13,25% ao ano.

Mais conteúdo sobre:
dólarcâmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.