Dólar interrompe série de cinco altas e cai 0,05%

O dólar interrompeu nesta terça-feira, 21, uma sequência de cinco altas ante o real e fechou o dia em leve baixa de 0,05% no balcão, cotado a R$ 2,0380. A moeda americana, que chegou a subir pela manhã, passou para o território negativo na metade do dia, influenciada pelo exterior e, de acordo com alguns profissionais, pelo fluxo de entrada de recursos do País durante a sessão. Apesar da queda, o dólar permaneceu acima dos R$ 2,030, mesmo após discurso do presidente do Banco Central (BC) Alexandre Tombini, na Comissão Mista de Orçamento do Congresso.

FABRÍCIO DE CASTRO, Agencia Estado

21 de maio de 2013 | 17h13

Na cotação máxima desta terça-feira, verificada às 9h25, o dólar atingiu R$ 2,0470 (alta de 0,39% ante o fechamento de segunda-feira) e, na mínima, às 14h48, R$ 2,0340 (baixa de 0,25%).

Perto das 17h00 no mercado futuro, o dólar para junho era cotado a R$ 2,042, em queda de 0,12%.

Pela manhã, o dólar registrou ganhos ante o real, em sintonia com o exterior, onde dados de inflação mais fracos no Reino Unido fizeram a moeda americana avançar ante a libra inglesa, o euro e o iene. O mesmo ocorria em relação ao real, mas profissionais citaram o fluxo de entrada de recursos como motivo para a virada da moeda. Ao longo do dia, o movimento foi favorecido pela virada do dólar ante o euro.

"O mercado melhorou lá fora e parece ter um fluxo positivo (de dólares para o Brasil) hoje. Isso contribuiu para a queda do dólar ante o real", resumiu um profissional da mesa de câmbio de um grande banco brasileiro.

Investidores também observaram com atenção declarações de autoridades do Federal Reserve no início da tarde. O presidente do Federal Reserve de St. Louis, James Bullard, afirmou que o BC dos EUA deve seguir adiante com sua campanha de compra de bônus, mas precisa estar disposto a mudar seu tamanho para refletir a mudança nas correntes econômicas.

À tarde, o presidente do Banco Central brasileiro, Alexandre Tombini, falou na Comissão Mista de Orçamento do Congresso. No câmbio, não houve reação perceptível. A autoridade disse que, no momento, o BC não tem posição vendida nem comprada em swap. "Isso não significa que esses instrumentos foram abolidos. É um instrumento que tem se mostrado importante para reduzir a volatilidade e corrigir as distorções no mercado cambial."

Tudo o que sabemos sobre:
mercadodólarfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.