Dólar opera com baixa liquidez, ao sabor do fluxo

Esta manhã, o mercado doméstico de câmbio realizou somente operações no mercado interbancário, já que a Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) não abriu nesta quinta-feira, feriado pelo aniversário de que São Paulo. Sem opções para arbitragem, as tesourarias ficaram de fora do mercado e as operações limitaram-se ao comércio exterior, principalmente de empresas sediadas no Rio de Janeiro e Campinas. No noticiário, os destaques da manhã foram os dados das contas externas e os números preliminares do fluxo cambial de janeiro. Apesar da importância desses resultados, os investidores não se movimentaram em função deles, mas sim da relação entre oferta e demanda de dólares. E, nessa relação, a oferta foi maior, com fluxo positivo, apesar de pequeno, pelo segmento comercial. A conseqüência foi a desvalorização da moeda norte-americana durante toda a manhã. Na mínima, registrada na abertura, o dólar foi negociado a R$ 2,124 (com queda de 0,23%). Na máxima, ao final da manhã, o dólar valia R$ 2,127 (com recuo de 0,09%). Às 14h31, o dólar comercial ainda caía 0,09%, a R$ 2,127.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.