Dólar opera estável após leilão do Banco Central

Moeda norte-americana abriu em alta ante o real, sob influência de fatores internos como o Copom, mas inverteu a tendência após o leilão diário do BC

Agência Estado

28 de novembro de 2013 | 10h10

SÃO PAULO - O dólar abriu em alta ante o real, refletindo ajustes da taxa ao fechamento mais alto ontem do dólar futuro para dezembro de 2013, à mudança no comunicado do Copom e ainda devido à pressão dos investidores com posições "compradas" em derivativos cambiais, principalmente investidores estrangeiros que apostaram na valorização da moeda norte-americana ao longo do mês.

O dólar à vista abriu a R$ 2,3340 (+0,69%) - maior taxa de abertura desde 12 de novembro (R$ 2,3470).

Por volta de 10h50, o Banco Central vendeu todos os 10 mil contratos de swap cambial ofertados hoje na operação programada diária, no valor total de US$ 496,6 milhões.

Com a oferta do BC, o dólar renovou mínimas sequenciais ante o real. Por volta de 11h25, a cotação atingiu a mínima do dia, a R$ 2,3190 (+0,04%).

Para swap com vencimento em 5/3/2014, foram vendidos 3.000 contratos (US$ 149,6 milhões). Para o vencimento de 2/6/2014, foram negociados 7.000 contratos, no valor de US$ 347,0 milhões.

Os contratos negociados pelo BC hoje terão como data de emissão e liquidação o dia 29/11/2013. Esta operação faz parte do programa de leilões diários no mercado cambial anunciado no dia 22 de agosto e que conta com operações de swap de segunda a quinta-feira, no valor de US$ 500 milhões cada, além de leilão de linha às sextas-feiras, no total de US$ 1 bilhão. Até o fim do ano, o BC espera ofertar cerca de US$ 100 bilhões por meio desses leilões diários.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarBC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.