Dólar opera perto da estabilidade, com tendência de alta

Mercados ligados a commodities, caso do Brasil, têm dia de avanço da divisa americana em relação à moeda local

Luciana Antonello Xavier, da Agência Estado,

13 de fevereiro de 2014 | 09h57

Após abrir em queda nesta quinta-feira, 13, o dólar operava estável por volta das 10h15, cotado a R$ 2,432, no mesmo nível do fechamento de quarta.

De modo geral, os mercados se mostram cautelosos nesta manhã. O dólar está em baixa ante o euro e iene, mas em alta ante a maioria das moedas ligadas a commodities - e isso indica ao menos uma tendência de alta também em relação ao real.

No front doméstico, os investidores digerem o fraco resultado das vendas no varejo em dezembro e no resultado fechado do ano. As vendas no varejo caíram 0,2% em dezembro ante novembro de 2013, após nove meses de alta consecutiva. No ano, houve alta de 4,3%, mas ainda assim o pior resultado desde 2003, quando houve queda de 3,7%.

Ainda no Brasil, os riscos do setor de energia diante da falta de chuvas preocupam os investidores, que estarão mais atentos ainda ao comportamento da inflação e da situação fiscal do País.

Com os riscos vindos do setor elétrico, cresce a ansiedade em torno de saber qual será a meta de superávit primário este ano. Esse anúncio deve ser feito na próxima semana e é esperada no mercado uma meta de 1,8%. O mercado também aguarda a apresentação do diretor de Política Econômica do Banco Central, Carlos Hamilton, do Boletim Regional do Banco Central, em Curitiba. Na agenda dos Estados Unidos, são aguardados hoje os dados de pedidos auxílio-desemprego, estoques das empresas e balanços corporativos.

O euro operava em alta após ter sido abalada brevemente pelo boletim mensal do Banco Central Europeu (BCE), que reduziu as estimativas para a inflação na zona do euro neste ano e no próximo, sugerindo que a instituição poderá ter de manter ou reforçar a política acomodatícia. Às 9h26, porém, o euro subia para US$ 1,3667, de US$ 1,3595 no fim da tarde de ontem em NY.

Foi divulgado que o Brasil teve o terceiro pior desempenho no ranking de 11 países medidos no Indicador de Clima Econômico (ICE), apurado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em parceria com o instituto alemão Ifo. Em 12 meses até janeiro de 2014, o ICE médio do País ficou em 93 pontos. Estão em patamares mais baixos apenas Argentina (73 pontos) e Venezuela (22 pontos).

Na China, O yuan fechou em queda ante o dólar pelo terceiro dia seguido, após o Banco do Povo da China (PBoC) orientar a moeda para baixo por meio da taxa de referência diária. No mercado de balcão, o dólar estava em 6,0636 yuans às 6h30 (de Brasília), acima de 6,0624 yuans no fechamento passado.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarcautela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.