Dólar opera sob cautela antes de decisão do Fed

Banco Central dos Estados Unidos deve anunciar decisão sobre a continuidade ou não dos estímulos à economia norte-americana

Luciana Antonello Xavier, da Agência Estado,

17 de setembro de 2013 | 09h41

O dólar abriu perto da estabilidade nesta terça-feira, 17, e opera agora em queda, acompanhando o sentimento de cautela que toma conta dos mercados em geral, enquanto o Federal Reserve não anuncia que rumo irá tomar em relação ao fim do relaxamento monetário, o chamado QE3. A reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) começa hoje e termina na quarta-feira, 18. Às 10h52, o dólar caía 0,57%, a R$ 2,2640.  

Passada a euforia a desistência de Lawrence Summers de disputar a presidência do Federal Reserve, a cautela impera nos mercados em geral por causa da reunião do Fomc. A apreensão sobre qual será o próximo passo a ser dado pelo Fed na política monetária - quando e com qual magnitude será feita a redução das compras mensais de ativos - ofusca o resultado melhor do que o esperado do índice Zew de expectativas econômicas da Alemanha. Com isso, as bolsas europeias operam pressionadas e o dólar, em direções mistas, sendo perto da estabilidade em relação à maioria das divisas.

"Os mercados vão se proteger até amanhã, o que não quer dizer que não possamos ver volatilidade no câmbio", disse o operador. Ontem o dólar à vista negociado no balcão fechou em queda de 0,18%, a R$ 2,2770. Em setembro, a moeda americana acumula queda de 4,45% e, em 2013, avanço de 11,34%.

Na Alemanha, o índice de expectativas econômicas na Alemanha medido pelo instituto ZEW, que sinaliza o sentimento do investidor para os próximos seis meses, subiu para 49,6 em setembro, de 42 em agosto, superando previsão de alta para 46. Por outro lado, a venda de veículos na União Europeia caiu 5% em agosto na comparação anual. De janeiro a agosto de 2013, o emplacamento de carros novos diminuiu 5,2% ante mesmo período de 2012, para 7,841 milhões de veículos, configurando o pior período de oito meses já registrado pela entidade na série histórica iniciada em 1990.

O dólar seguia direções mistas em relação às moedas emergentes e as ligadas a commodities: dólar australiano (-0,25%); dólar canadense (-0,02%); dólar neozelandês (-0,34%); rupia indiana (-0,18%); lira turca (+0,42%); rand sul-africano (+0,67%); rublo russo (-0,05%); rupia indonésia (+0,04%).

Leilão

O Banco Central (BC) vendeu os 10 mil contratos de swap cambial com vencimento em 3 de fevereiro de 2014, que colocou à disposição do mercado. O swap cambial é uma operação que equivale à venda de dólares no mercado futuro e na operação de hoje somou US$ 496,9 milhões. Os contratos negociados pelo BC hoje terão como data de emissão e liquidação o dia 18/09/2013.

Esta operação faz parte do programa de leilões diários no mercado cambial anunciado no dia 22 de agosto e que conta com operações de swap de segunda a quinta-feira, no valor de US$ 500 milhões cada, além de leilão de linha às sextas, de US$ 1 bilhão.

Por semana, são oferecidos US$ 3 bilhões ao mercado e, até o final do ano, o BC espera ofertar cerca de US$ 100 bilhões por meio desses leilões. Ainda hoje, das 10h30 às 10h40, o BC fará outro round de swap para o mercado.

(Com Célia Froufe, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:
dólarFed

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.