Dólar passa a cair após fala de Bernanke e leilão do BC

O dólar iniciou a tarde oscilando entre queda e estabilidade, após renovar as máximas no fim da manhã e pouco antes do leilão de compra da moeda pelo Banco Central. Por volta das 15 horas, o dólar comercial recuava 0,05%, a R$ 2,153, no mercado interbancário, e o dólar negociado à vista no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) também caía 0,05%, a R$ 2,152 - as máximas foram, respectivamente, de R$ 2,163 (+0,42%) e de R$ 2,16335 (+0,48%). O discurso considerado neutro do presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), Ben Bernanke, no simpósio econômico anual do Fed de Kansas City, e a compra de um lote aparentemente pequeno pelo BC no leilão estimulam as tesourarias de bancos a ofertar moeda no mercado à vista. A redução das quedas das Bolsas em Nova York e a virada para alta da Bovespa, esta tarde, também estimulam a redução de posições compradas em câmbio. Como o fluxo cambial é fraco e a liquidez está reduzida, essa oferta levou o dólar à vista a devolver a alta exibida pela manhã para cair. No leilão, o Banco Central aceitou cinco propostas à taxa de corte de R$ 2,158 - equivalente ao preço do dólar à vista naquele momento. Segundo um operador, foram apresentadas 16 propostas com taxas de R$ 2,157 a R$ 2,159.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.