Dólar reage com dubiedade a dados da economia dos EUA

O mercado doméstico de câmbio reage com dubiedade aos dados da economia norte-americana divulgados esta manhã e isso está segurando as cotações do dólar próximas da estabilidade. O resultado índice de preços ao produtor (PPI) de agosto, mostrando desaceleração da inflação maior do que o esperado, reforça as apostas de um tempo mais longo na interrupção do aperto monetário dos EUA. E isso é fator de desvalorização da moeda norte-americana. Mas sinaliza também uma redução da atividade econômica mais intensa do que o estimado e essa segunda leitura é motivo para preocupação. A possibilidade de queda brusca no crescimento econômico dos EUA foi reforçada hoje por números do setor imobiliário. O Departamento do Comércio dos EUA informou que o número de construções de residências iniciadas em agosto recuou 6%. O dado de novas construções iniciadas registrou queda pela quinta vez nos últimos seis meses. No mercado de commodities, que tem sido acompanhado pelos analistas nacionais como termômetro das preocupações com a atividade global, há queda em diversos dos ativos. E ontem à noite, em Cingapura, o diretor-gerente do FMI, Rodrigo Rato, alertou para vários riscos ao crescimento global. Às 11h27, o dólar à vista era negociado a R$ 2,148, com alta de 0,07% na Bolsa de Mercadorias & Futuros. O dólar comercial também estava cotado a R$ 2,148 no mesmo horário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.