Dólar recua com dado fraco nos EUA e expectativa de ação do Fed

Índice de confiança do consumidor norte-americano caiu de 53,2 em agosto para 48,5 em setembro

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

28 de setembro de 2010 | 19h03

O dólar caiu em relação ao iene, ao euro e a outras moedas, pressionado por dados fracos sobre a economia dos EUA, que reforçaram a perspectiva de que o Federal Reserve anunciará em breve um plano para estimular a economia. "A contestação da necessidade de um afrouxamento quantitativo virá dos indicadores", disse Alan Ruskin, diretor global de estratégia de câmbio do G-10 no Deutsche Bank em Nova York. "Dados como os que tivemos hoje apenas comprovam essa necessidade."

 

Pela manhã, o Conference Board divulgou que seu índice de confiança do consumidor norte-americano caiu para 48,5 em setembro, de uma leitura revisada de 53,2 em agosto. A previsão dos economistas era de que o índice ficaria em 52. O número deste mês foi o mais baixo desde fevereiro deste ano. Além disso, o índice S&P/Case-Shiller de preços de moradias em 20 cidades dos EUA caiu 0,1% em julho ante junho, em termos sazonalmente ajustados.

 

Segundo a estrategista de câmbio Jane Foley, do Rabobank em Londres, a economia dos EUA ainda está crescendo, ainda que em ritmo lento e apesar dos indicadores decepcionantes divulgados recentemente. Diante disso, um programa de estímulo de grandes proporções por parte do Fed não será necessário e isso deve conter o declínio do dólar. No entanto, "enquanto o Fed sinalizar que a porta para o afrouxamento quantitativo está aberta, a probabilidade é de manutenção de um viés de fraqueza para o dólar", acrescentou.

 

No final da tarde em Nova York, o euro subia para US$ 1,3590, de US$ 1,3444 na segunda-feira, e tinha alta para 114,00 ienes, de 113,25 ienes ontem. O dólar recuava para 83,89 ienes, de 84,25 ienes na segunda-feira, e caía para 0,9760 franco suíço, de 0,9857 franco suíço ontem.

 

O índice ICE Dollar, que monitora o valor da divisa norte-americana em relação a uma cesta de moedas, recuava para 78,904, de 79,502 ontem. Foi a primeira vez desde fevereiro em que o índice caiu para abaixo de 79.

 

A libra tinha queda para US$ 1,5802, de US$ 1,5826 na segunda-feira, pressionada pelo fato de o membro do comitê de política monetária do Banco da Inglaterra, Adam Posen, defender que o banco central precisa realizar uma nova rodada de compras de ativos para evitar um período prolongado de fraco desempenho econômico. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarienelibra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.