Dólar recua com fala de ministro japonês sobre iene

O dólar recuou diante das principais moedas, depois de o ministro da Economia do Japão, Akira Amari, dizer que acredita que a correção do iene sobrevalorizado está, em grande parte, concluída. Traders disseram que o dólar recuou também por causa das expectativas em torno do depoimento do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, no Congresso dos EUA, na quarta-feira, 22, e também da ata da última reunião do Fed, no mesmo dia.

Agencia Estado

20 de maio de 2013 | 19h21

"As pessoas vão procurar pretextos para começar a realizar lucros com o dólar", disse o estrategista Geoffrey Yu, do UBS.

Outro fator para o recuo do dólar foram as declarações feitas à tarde pelo presidente do Fed de Chicago, Charles Evans. Ele disse que a economia norte-americana está se recuperando "bastante bem", mas que é contra remover prematuramente a política monetária acomodatícia. Para Evans (que tem direito a voto nas reuniões de política monetária deste ano), "nossa política está funcionando. Queremos estimular esta recuperação e vamos continuar a fazê-lo até que haja progresso substancial na perspectiva do mercado de mão de obra".

"O dólar tem obtido apoio das expectativas elevadas de que o Fed esteja próximo de reduzir o ritmo do relaxamento quantitativo da política monetária", comentou o analista Lee Hardman, do Bank of Tokyo-Mitsubishi UFJ.

No fim da tarde em Nova York, o euro estava cotado a US$ 1,2883, de US$ 1,2838 na sexta-feira; o iene estava cotado a 102,25 por dólar, de 103,24 por dólar na sexta-feira; frente à moeda japonesa, o euro estava cotado a 131,83 ienes, de 132,56 ienes na sexta-feira; o franco suíço estava cotado a 0,9671 por dólar, de 0,9723 por dólar na sexta-feira, e a 1,2460 por euro, de 1,2493 por euro na sexta-feira; a libra estava cotada a US$ 1,5260, de US$ 1,5172 na sexta-feira. O dólar australiano estava cotado a US$ 0,9811, de US$ 0,9730 na sexta-feira. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
moedasfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.