Dólar recua pressionada por IGP-M menor

O dólar acompanha a queda vista ante as principais moedas emergentes e ligadas a commodities. A moeda americana é pressionada ainda pela desaceleração do IGP-M e pela previsão de fluxo positivo da oferta de ações da Oi, que movimentou até R$ 13,96 bilhões e teve 80% de participação de estrangeiros, também pesam nas primeiras definições de preços. Perto das 9h30, o dólar à vista no balcão tinha queda de 0,18%, a R$ 2,2230, na máxima. O futuro para maio caía 0,09%, a R$ 2,2235.

LUCIANA ANTONELLO XAVIER, Agencia Estado

29 de abril de 2014 | 10h09

O euro recuava a US$ 1,3813, de US$ 1,3854 no fim da tarde de segunda-feira, 28, em NY. O dólar caía ante a maioria das moedas emergentes e ligadas a commodities: dólar canadense (0,51%), dólar neozelandês (+0,07%), dólar australiano (-0,48%).

O IGP-M ficou 0,76% em abril, de 1,67% em março, dentro do intervalo das estimativas (de 0,72% a 0,92%), mas abaixo da mediana de 0,80%. O mercado espera agora pela pesquisa eleitoral CNT/MDA e pela nota sobre política monetária e operações de crédito de março do Banco Central, ambos às 10h30.

O Ibovespa futuro seguia o sinal positivo das bolsas internacionais. As bolsas europeias encabeçam os ganhos, tendo acentuado o avanço após a divulgação do índice de preços ao consumidor (CPI) da Alemanha deixar sinais de que pode haver espaço para mais estímulos monetários pelo Banco Central Europeu (BCE). O CPI caiu 0,2% em abril ante março e subido 1,3%, aquém das estimativas de baixa de 0,1% e alta de 1,4%, respectivamente. O euro foi na direção contrária e passou a cair ante o dólar.

O Ibovespa futuro subia 0,79%, aos 51.383,68 pontos. Em Nova York, no mercado futuro, o Dow Jones subia 0,30%, o Nasdaq tinha alta de 0,37% e o S&P 500 avançava 0,32%. Na Europa, Londres +0,83%, Paris +0,63% e Frankfurt +1,38%. Os investidores aguardam agora pelos dados sobre preços de moradias e confiança do consumidor nos EUA.

Tudo o que sabemos sobre:
dólaremergentes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.