Dólar reduz queda com expectativa sobre leilão e NY

O dólar à vista reduziu a queda na tarde de hoje para renovar as máximas, sustentado por ajustes de posições das tesourarias de bancos. Às 15h51, a moeda encostou na máxima até aquele momento, de R$ 2,171, em baixa de 0,41% - a mesma cotação e recuo verificados no dólar negociado no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). Hoje, o Banco Central (BC) fez o leilão de compra de moeda mais cedo e, na operação, aceitou dez propostas à taxa de corte de R$ 2,166. Segundo operadores, além da expectativa de que o BC poderá voltar a comprar dólar em mercado amanhã, os investidores já se reposicionam por causa da dúvida sobre o humor dos investidores na reabertura dos mercados em Nova York amanhã, na volta do feriado de hoje. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) mantém-se de lado, ou seja, ora opera no campo positivo, ora no negativo, com ausência dos mercados nos Estados Unidos. Às 15h53, o Ibovespa caía 0,10%, com 37.319 pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.