Dólar reflete cautela com Palocci e juro nos EUA

O dólar comercial era pressionado esta tarde por comentários sobre uma nova pesquisa de intenção de votos, que pode ser divulgada neste fim de semana, além de novas reportagens envolvendo o ministro da Fazenda, Antonio Palocci. A alta dos juros dos títulos do Tesouro dos EUA (Treasuries) também favorecia a subida do dólar. A taxa projetada pelo papel de 10 anos (T-Note) subia a 4,6785%, ante 4,64% ontem. O risco Brasil operava estável, em 224 pontos-base. Às 16h08, o dólar subia 0,71% em relação ao fechamento dos negócios ontem e era cotado a R$ 2,125.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.