Dólar reforça altas após leilão de swap reverso

O dólar renovou as cotações máximas do dia após o resultado do leilão de swap cambial reverso, em que o Banco Central vendeu 28.500 contratos com cinco vencimentos e volume financeiro de US$ 1,349 bilhão. Às 14h50, o dólar comercial atingiu a máxima de R$ 2,193 (+0,73%) no mercado interbancário e o dólar negociado à vista no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros chegou à máxima de R$ 2,192 (+0,74%). Por volta das 15 horas, o dólar desacelerava para R$ 2,191 (+0,69%) na BM&F e para R$ 2,190 (+0,60%) no mercado interbancário. "O mercado não esperava que o BC fosse vender um lote tão grande e passou a ajustar posições após o leilão em meio ao cenário externo negativo, o que dá sustentação ao dólar", disse um operador. No leilão, o BC vendeu 93,03% ou US$ 1,349 bilhão em swap cambial reverso de uma oferta total de até US$ 1,45 bilhão (29.600 contratos, com cinco vencimentos) - equivalente ao volume do vencimento integral de swap cambial reverso no próximo dia 1º de agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.