Dólar renova máxima com cenário externo e risco Brasil

O dólar renovou as máximas, pressionado pelo cenário externo ruim, com nova alta dos juros dos títulos do Tesouro dos EUA (Treasuries) de 30 e 10 anos, do risco Brasil e queda das bolsas em Nova York e em São Paulo. Há instantes, a moeda norte-americana desacelerava a alta para 0,92%, a R$ 2,188, no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), e a 0,97%, a R$ 2,189, no mercado à vista. A máxima nesses dois mercados foi de R$ 2,194, alta de 1,2%. Há instantes, o risco Brasil estava no maior nível de hoje, em 240 pontos base, alta de 5 pontos (2,13%). A Bovespa recuava 2,37%. No mercado de juros, o contrato futuro para o mês de janeiro/07 subia a 15,27%, ante 15,25% ontem. Em Nova York, o Dow Jones caía 0,07% e o Nasdaq, -0,25%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.