Dólar sobe 1,43% após rombo nas contas externas e indicadores fracos

Dólar sobe 1,43% após rombo nas contas externas e indicadores fracos

Essa foi a primeira alta após quatro sessões em queda; dados fracos sobre balança comercial e arrecadação de tributos também influenciaram a cotação da moeda

Álvaro Campos, Agência Estado

24 de novembro de 2014 | 17h01



Após quatro sessões seguidas de queda, o dólar nem precisava de muitos motivos para subir nesta segunda-feira, mas eles existiram. As transações correntes tiveram rombo recorde em outubro, a balança comercial registrou novo déficit na terceira semana de novembro e a arrecadação federal apresentou queda real no mês passado ante outubro de 2013. Além disso, o sinal que vem do exterior também é de valorização da moeda norte-americana.

O dólar à vista no balcão terminou a sessão cotado a R$ 2,550, uma alta de 1,43%.

Por volta das 16h30, o dólar subia ante moedas de países emergentes e exportadores de commodities, como o dólar canadense (+0,59%), o dólar neozelandês (+0,40%) e a lira turca (+0,40%).

"O déficit em conta corrente foi muito grande e a queda do dólar na semana passada foi em cima puramente de especulações. Mesmo que a nova equipe econômica seja confirmada, ninguém sabe o que eles de fato vão fazer, se vão trabalhar juntos ou se vão bater cabeça", comenta Durval Correa, diretor da mesa de câmbio da corretora Multi-Money.

Hoje, o Banco Central divulgou que o resultado das transações correntes seguiu negativo em outubro, ao registrar um déficit de US$ 8,131 bilhões. O resultado ficou dentro das previsões coletadas pelo AE Projeções, que iam de um saldo negativo de US$ 8,6 bilhões a -US$ 6,6 bilhões - a mediana apontava para um déficit de US$ 7,6 bilhões. Mesmo assim, é o pior para o mês desde o início da séria histórica, em 1980, e provavelmente o maior rombo desde 1947, quando o BC começou a levantar os dados de transações correntes, segundo afirmou o próprio chefe do Departamento Econômico da instituição, Tulio Maciel.

Já o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) informou que a balança comercial teve déficit de US$ 701 milhões na terceira semana de novembro, elevando o saldo negativo no mês para US$ 2,252 bilhões. No ano, o déficit é de US$ 4,123 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
dolarmercadocambio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.