Reuters
Reuters

Dólar sobe 1,9% e fecha cotado a R$ 3,01 após dados fiscais ruins

Desempenho fraco das contas públicas piorou a percepção do mercado sobre a economia brasileira

Luciana Antonello Xavier, O Estado de S. Paulo

30 de abril de 2015 | 12h27

Atualizado às 17h20

O dólar ganhou força após a divulgação de dados fiscais ruins e voltou à cotação de R$ 3 nesta quinta-feira, 30. A moeda fechou em alta de 1,9%, cotada a R$ 3,01. O Ibovespa, após dia de grande volatilidade, fechou em alta de 1,63%, aos 56.229 pontos.

As contas do setor público consolidado registraram superávit primário de R$ 19 bilhões no primeiro trimestre, o resultado mais fraco para o período desde 2009. O desempenho fraco das contas públicas piorou a percepção do mercado sobre a economia brasileira.


O dólar já começou o dia com valorização, em linha com o movimento de alta no exterior em relação a outras dividas atreladas a commodities, como o dólar australiano e o rand sul-africano.

A alta também se firmou diante de alguns indicadores dos Estados Unidos, especialmente os pedidos de auxílio-desemprego, que caíram na semana passada para 262 mil, de previsão de 288 mil, o menor nível desde 15 de abril de 2000. Há pouco, também foi divulgado outro indicador que ajuda a impulsionar o dólar. O índice ISM de atividade industrial dos EUA subiu para 52,3 em abril, acima da previsão de alta para 50. 

Notícias relacionadas
    Mais conteúdo sobre:
    dólarcâmbiocotação

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.