Dólar sobe a R$ 2,173 com saídas de estrangeiros

O dólar opera em alta nesta manhã, comandada pelos negócios feitos com contratos de derivativos, já que no mercado à vista há presença consistente de exportadores. A suspeita é que a pressão de valorização da moeda norte-americana continue sendo decorrente da diminuição das posições vendidas dos estrangeiros, movimento que vem ocorrendo desde o início do mês. "Há um sentimento de desconforto no mercado de dólar que ninguém sabe exatamente de onde vem", diz um analista, acrescentando que as saídas de estrangeiros estão deixando os demais investidores "ressabiados". Ele ressalta ainda que, sem fluxo financeiro de entrada e com o Banco Central comprando dólares no mercado à vista, o dólar sobe. Alguns operadores atribuem o desconforto do mercado de câmbio à proximidade das eleições presidenciais. Mas essa perspectiva está longe de ser consenso. Também há aqueles que ligam a saída de estrangeiros à última captação do Tesouro Nacional, em reais. Segundo essa avaliação, os estrangeiros que participaram da emissão estariam diminuindo posições que tinham no mercado doméstico para manterem a mesma exposição a Brasil. Às 11h30, o dólar comercial era negociado a R$ 2,173 nas transações interbancárias, com alta de 0,23%. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), a cotação era de R$ 2,172, com elevação também em 0,23%.

Agencia Estado,

13 de setembro de 2006 | 11h32

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.