Dólar sobe a R$ 2,21 com tensões geopolíticas externas

O aumento das tensões no Oriente Médio, com os ataques feitos hoje por Israel ao Líbano, somando-se às incertezas sobre os programas nucleares do Irã e da Coréia do Norte, mais as dúvidas em relação à produção de petróleo na Nigéria e a queda nos estoques dos EUA, leva o preço do petróleo a novos recordes de alta esta manhã e azeda o humor dos mercados financeiros globais. Na Europa, as bolsas de valores operam em forte queda, com perdas de quase 2%. Os índices futuros das Bolsas de Nova York também operam no negativo. Diante deste cenário, o dólar abriu em alta hoje no mercado de câmbio doméstico. O primeiro negócio no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros, em São Paulo, foi fechado à taxa de R$ 2,211, alta de 0,64% em relação a ontem. No mercado interbancário, o dólar comercial também era negociado a R$ 2,21 às 9h50, em alta de 0,45%, nas transações de liquidação à vista. Nos últimos dias, o Banco Central realizou intervenções no mercado de câmbio, comprando dólares, o que reforça a expectativa de valorização da moeda norte-americana também para o decorrer do dia hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.