Dólar sobe após Yellen indicar continuidade no Fed

O iene recuou contra o dólar norte-americano após a presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Janet Yellen, afirmar que não há nenhuma mudança iminente no modo de condução da política monetária, o que levou os investidores a comprarem ativos mais arriscados. O iene, um ativo tradicionalmente mais seguro, também se enfraqueceu frente ao euro e à libra.

AE, Agencia Estado

11 de fevereiro de 2014 | 20h31

No primeiro depoimento para o Congresso desde que assumiu o Fed, Yellen disse esperar uma ampla continuidade das políticas conduzidas por seu predecessor. A presidente da autoridade monetária também afirmou que o cenário para a economia norte-americana teria que piorar muito antes que os membros considerassem interromper a atual redução gradual no programa de estímulos.

Para Michael Woolfolk, estrategista sênior de câmbio no BNY Mellon, a mensagem acalmou os investidores que estavam preocupados com um possível indicador de mudança de estratégia do Fed. "Yellen sinalizou uma luz verde para o retorno a ações e ativos mais arriscados", disse. De fato, os principais índices acionários norte-americanos fecharam em alta de mais de 1%.

No fechamento em Nova York, o euro estava cotado a US$ 1,3636, de US$ 1,3643 no fim da tarde de segunda-feira em Nova York; o iene estava cotado a 102,60 por dólar, de 102,20 por dólar. Frente à moeda japonesa, o euro estava cotado a 139,95 ienes, de 139,44 ienes no fim da tarde de segunda-feira. O franco suíço estava cotado a 0,8982 por dólar, de 0,8967 por dólar, e a 1,2248 por euro, de 1,2236 por euro. A libra estava cotada a US$ 1,6448, de US$ 1,6400. O dólar australiano estava cotado a US$ 0,8317, de US$ 0,8264 no fim da tarde de segunda-feira. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Mundocâmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.