Dólar sobe com ajuste de posições antes do Fed e eleições nos EUA

Mercado especula, ainda, sobre possível retomada da intervenção do Japão no câmbio

Regina Cardeal, da Agência Estado,

26 de outubro de 2010 | 19h22

O dólar subiu em relação ao iene e ao euro, enquanto os investidores se questionavam se exageraram nas vendas da moeda norte-americana. A especulação sobre uma possível retomada da intervenção do Japão no câmbio e temores sobre um estímulo menor do que o esperado do Fed levaram os investidores a recuarem, depois de semanas de pressão pesada sobre o dólar.

 

O dólar tem sofrido perdas acentuadas na antecipação de um afrouxamento quantitativo, pelo qual o Fed deverá comprar bônus e inundar o mercado com a divisa norte-americana para estimular o crescimento econômico. Espera-se que o banco central dos EUA anuncie a nova rodada de afrouxamento quantitativo em seu encontro na próxima semana.

 

De madrugada, muitos investidores saíram de posições compradas em ienes depois de "intervenções verbais" de autoridades japonesas, disseram analistas. Isso ajudou a moeda japonesa a se distanciar da máxima em 15 anos atingida ontem. O dólar atingiu a máxima intraday de 81,66 ienes na sessão em Nova York.

 

O euro cedeu terreno na sessão em Nova York, após recuar com os mercados acionários na Ásia, com os investidores evitando manter a moeda única europeia perto de US$ 1,40 por causa da incerteza envolvendo as eleições para o Congresso norte-americano marcadas para 2 de novembro e a reunião do Fed, que acontecerá nos dias 2 e 3 de novembro. O euro atingiu a mínima intraday de US$ 1,3825 em Nova York.

 

Há analistas que acreditam que, se os republicanos conseguirem maioria no Congresso, o dólar poderá subir, porque haverá um apoio político menor às medidas de estímulo que injetariam mais dólares na economia. Da mesma forma, uma decepção com o Fed poderá ser positiva para o dólar.

 

"O afrouxamento quantitativo já está precificado, portanto teremos de ver dados muito fracos dos EUA indicando a necessidade de grandes volumes de afrouxamento quantitativo, ou afrouxamento prolongado, para mandar o dólar mais para baixo", disse Matthew Strauss, estrategista de câmbio da RBC Capital Markets, em Toronto.

 

O dólar reforçou seu movimento de alta em relação ao iene e ao euro depois dos dados indicando que a confiança do consumidor nos EUA subiu em outubro.

 

No fim da tarde em Nova York, o euro era negociado em queda a US$ 1,3855, de US$ 1,3969 na segunda-feira. O dólar estava em alta a 81,47 ienes, de 80,79 ienes, enquanto o euro estava em 112,90 ienes, de 112,86 ienes ontem. A libra do Reino Unido era negociada em US$ 1,5834, de US$ 1,5732. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
dólareuroiene

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.