Dólar sobe com chance de novas altas no juro dos EUA

O câmbio voltou a oscilar em alta hoje, pelo segundo dia seguido. As cotações da moeda norte-americana aceleraram a correção à tarde, acompanhando as quedas mais fortes das Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e do mercado de ações em Nova York, após a divulgação da ata da reunião do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) de março. O documento destacou que novas elevações de juro nos EUA "podem ser necessárias". O dólar comercial subiu 0,49% e encerrou na máxima, a R$ 2,038, no mercado interbancário. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar à vista terminou cotado a R$ 2,0375, com ganho de 0,47%. A moeda já abriu pressionada, reagindo ao cenário externo mais cauteloso dada a espera pela ata do FOMC. Além disso, houve forte repercussão nas mesas de negociação sobre a mudança na diretoria de Política Monetária do Banco Central (BC), que foi bem-recebida. Os operadores de câmbio consultados disseram que a substituição de um economista (Rodrigo Azevedo) no corpo de diretores do BC por um operador de mercado (Mario Gomes Torós) poderia levar a autoridade monetária a ser mais flexível na política cambial.

Agencia Estado,

11 Abril 2007 | 16h46

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.