Dólar sobe com mudança nas expectativas para o programa do Fed

Artigo do Wall Street Journal indica que o Fed comprará menos Treasuries que o previsto

Regina Cardeal, da Agência Estado,

27 de outubro de 2010 | 19h04

O dólar subiu nesta quarta-feira em que os investidores moderaram as expectativas em relação ao tamanho e alcance da esperada ação do Fed para estimular a economia dos EUA. Depois de baterem no dólar recentemente, na expectativa de que o Fed anuncie na próxima semana uma massiva injeção de recursos na economia, os investidores se concentraram num artigo do Wall Street Journal, segundo o qual o Fed, por vários meses, comprará "apenas" algumas centenas de bilhões de dólares em Treasuries, bem menos que o volume superior a US$ 1 trilhão que alguns preveem.

 

"Não ficaria surpreso se eles (do Fed) não fizessem nada", disse Greg Salvaggio, vice-presidente de mercados de capitais da Tempus Consulting em Washington. Ele apontou para a pressão de alguns membros do Grupo dos 20 (G-20) para que o Fed evite ações que possam enfraquecer ainda mais o dólar.

 

Mesmo que o banco central norte-americano adote outra rodada de afrouxamento quantitativo via compra de bônus - como a maioria dos analistas espera -, os dados dos EUA têm vindo melhor do que se esperava, incluindo as surpresas positivas com os números de bens duráveis e vendas de residências novas em setembro. Isso deverá levar o banco central norte-americano a empreender uma compra de ativos mais modesta, disse Salvaggio.

 

Embora tenha subido, o dólar pode não manter muito impulso mesmo com uma programa de compra de Treasuries mais contido, disse Daragh Maher, vice-diretor de estratégia de câmbio global do Credit Agricole CIB em Londrse. "A discussão do mercado não está centrada em se, mas em quanto a política norte-americana vai enfraquecer o dólar", disse.

 

"A tentação de vender o dólar em qualquer rali vai continuar forte enquanto persistir a incerteza" sobre a dimensão do programa do Fed, disse. Mesmo que opte por um programa menor, o Fed poderá deixar a porta aberta para mais afrouxamento no futuro, acrescentou.

 

O dólar também subiu sensivelmente em relação ao dólar australiano, que foi pressionado pelos dados de inflação doméstica abaixo do esperado. Uma taxa de inflação menor reduz as expectativas de que o banco central da Austrália eleve a taxa de juro em sua próxima reunião. Com isso, o dólar australiano caiu cerca de 1,6% nesta quarta-feira.

 

No fim da tarde em Nova York, o euro era negociado em queda a US$ 1,3766, de US$ 1,3855 ontem. O dólar estava em alta a 81,70 ienes, de 81,47 ienes, enquanto o euro estava em 112,49 ienes, de 112,90 ienes. A libra do Reino Unido caía para US$ 1,5770, de US$ 1,5834. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarienelibra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.