Dólar sobe diante de diminuição das tensões no Leste

O dólar subiu em relação às principais moedas nesta segunda-feira, 17, à medida que diminuiu a aversão ao risco por parte dos investidores diante de uma menor tensão no Leste Europeu.

Agencia Estado

17 de março de 2014 | 20h21

A incerteza nos mercados diminuiu nesta segunda-feira após o referendo da Crimeia. A população local decidiu pela separação da península da Ucrânia e pela reincorporação ao território russo. O resultado do referendo, apoiado pelo governo de Vladimir Putin, foi considerado ilegítimo pelos EUA e União Europeia, que responderam com sanções brandas à Rússia.

O contexto ajudou a melhorar o apetite dos investidores por ativos mais arriscados, disse Sebastien Galy, estrategista de câmbio do Société Générale. "Houve um rali de alívio nos mercados de ações e câmbio", disse o analista.

Separadamente, muitos investidores consideraram a decisão do Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) de ampliar a banda de negociação do yuan como um desenvolvimento positivo, uma vez que o governo da China sinaliza para querer liberalizar seus mercados financeiros. O dólar subiu 0,4% em relação ao yuan, para 6,1771 por dólar.

No fim da tarde em Nova York, o dólar estava cotado a 101,75 ienes, de 101,35 ienes na sexta-feira; o euro estava em US$ 1,3922, de US$ 1,3912 no pregão anterior. Na mesma comparação, frente à moeda japonesa, o euro estava cotado a 141,82 ienes, de 141,02 ienes; o franco suíço estava cotado a 0,8734 por dólar, de 0,8726 por dólar; e a 1,2163 por euro, de 1,2138 por euro. A libra estava cotada a US$ 1,6637, de US$ 1,6647. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
mundomoedas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.