Dólar sobe enquanto investidores se preparam para Fed

O dólar avançou ante seus principais rivais nesta sexta-feira, 21, com investidores se posicionando para a redução dos estímulos fornecidos pelo Federal Reserve (Fed), que têm pressionado a moeda norte-americana há anos. Traders dizem que o dólar também está se beneficiando das projeções de mais crescimento nos Estados Unidos, o que pode levar a juros maiores, outro fator que eleva a atratividade da moeda.

Agencia Estado

21 de junho de 2013 | 18h50

No fim da tarde em Nova York, o euro caía para US$ 1,3122, de 1,3220 no fim da tarde da véspera. O dólar avançava para 97,91 ienes, de 97,30 ienes; a moeda comum europeia subia para 128,77 ienes, de 128,55 ienes. O dólar tinha alta para 0,9341 franco suíço, de 0,9276 franco suíço. A libra esterlina recuava para US$ 1,5433, de US$ 1,5492. O índice Wall Street Journal Dollar Index, que pesa a moeda norte-americana ante uma cesta de principais rivais, avançava para 74,286 pontos, de 73,838 pontos.

Depois de o presidente do Fed, Ben Bernanke, afirmar na quarta-feira, 19, que o banco central pode reduzir suas compras de bônus até o fim do ano, em função da melhora na economia, hoje o chefe da distrital de Saint Louis, James Bullard, fez o contraponto. Em comunicado, ele explicou seu voto dissidente na reunião desta semana do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) e depois, em uma entrevista para a Bloomberg, afirmou que o banco central pode ter de aumentar as compras de ativos, se a inflação continuar a cair. "As autoridades vão enfrentar uma decisão, se a inflação continuar a cair, sobre como fornecer mais acomodação", afirmou.

As declarações tiraram um pouco da força do dólar, mas outros fatores pesaram sobre seus principais rivais. O euro foi pressionando pela situação da Grécia, que se vê novamente mergulhada em uma crise política. O partido Esquerda Democrática abandonou a coalizão de governo, em função de discordâncias sobre o fechamento e posterior reestruturação da emissora estatal de televisão ERT. O primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, do Nova Democracia, ainda conta com o apoio do Partido Socialista (Pasok), que lhe dá uma estreita maioria no Parlamento. Mesmo assim, a crise política muito provavelmente vai desviar o foco e dificultar a aprovação de reformas estruturais que o país precisa adotar.

"Com a divulgação de indicadores econômicos que sugerem que a economia dos EUA está indo bem, podemos começar a ver o dólar subindo generalizadamente", previu David Renta, vice-presidente sênior do Key Bank.

"O dólar está se beneficiando do grande volume de dinheiro que está sendo trazido de volta para os EUA", afirmou Samarjit Shankar, diretor-gerente do Bank of New York Mellon. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
dólareuroiene

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.