Dólar sobe, mas anúncio de leilão de títulos desacelera

Cetip convoca leilão de venda de Notas do Tesouro Nacional em poder do Banco Econômico, que está em liquidação, equivalente a cerca de US$ 4 bi

Fabrício de Castro, da Agência Estado,

24 de maio de 2013 | 18h13

O avanço do dólar no exterior em relação à maior parte das divisas ligadas a commodities, trouxe um viés de alta para a moeda americana em relação ao real nesta sexta-feira, 24. Durante a tarde, no entanto, o anúncio de um leilão de títulos públicos cambiais atualmente em poder do Banco Econômico, que está em liquidação, mudou o panorama, com o dólar desacelerando os ganhos ante o real. Na prática, a operação anunciada equivale à injeção de cerca de US$ 4 bilhões no sistema, tendo efeito bastante semelhante ao de uma operação de swap cambial tradicional.

No fim, o dólar fechou em alta de 0,20% ante o real no balcão, cotado a R$ 2,0500. Foi a segunda vez, nesta semana, que a moeda terminou no patamar de R$ 2,05. No mercado futuro, o dólar para junho era cotado a R$ 2,05450, em alta de 0,34%.

Pela manhã, o dólar ante o real abriu em alta e ampliou os ganhos até a máxima de R$ 2,0560. A correção interna de preço acompanhou a ampliação gradual de ganhos da moeda dos EUA ante outras divisas no exterior, em meio às preocupações com a economia chinesa, grande compradora de commodities. Mesmo com o dólar acima de R$ 2,05, o Banco Central manteve-se distante dos negócios. Como em sessões anteriores, analistas disseram que o BC parecia confortável com um dólar um pouco mais alto e alertaram que o fluxo de entrada líquida de moeda no Brasil ajudava a segurar as cotações.

À tarde, porém, surgiu a novidade: a Cetip divulgou edital convocando leilão de venda de Notas do Tesouro Nacional - Série A3 (NTN-A3) em poder do Banco Econômico, que está em liquidação. Os títulos, que são cambiais, serão vendidos em leilão no dia 4, sendo que a quantidade ofertada é de 3,593 milhões de títulos. No total, a operação equivale à injeção de cerca de US$ 4 bilhões no sistema e tem efeito semelhante a um leilão de swap cambial tradicional (venda de dólares no mercado futuro).

"A venda é grande, próxima de US$ 4 bilhões. E, ao serem oferecidos títulos cambiais ao mercado, é como se o BC estivesse fazendo swap", comentou uma fonte que preferiu não se identificar. "O volume é grande e pode até explicar o fato de o BC não ter feito intervenção via swap recentemente", acrescentou. Operador da mesa de câmbio de um grande banco também viu semelhança entre o efeito do leilão de NTN-A3 e o de um leilão de swap cambial. Segundo ele, a desaceleração do dólar após as 15 horas esteve ligada, em parte, a este anúncio.

De acordo com a Cetip, a data de emissão dos títulos é de 10/12/1997, sendo que o valor nominal na data da emissão é de R$ 1 mil. A atualização do valor nominal, conforme o edital, ocorre "pela variação da cotação de venda do dólar dos Estados Unidos da América no mercado de câmbio de taxas livres, sendo consideradas as taxas médias do dia útil imediatamente anterior as datas de emissão e de vencimento do título". A taxa de juros é de 6% ao ano calculado sobre o valor nominal atualizado. A colocação das ofertas irá das 10 às 11 horas do dia 4 de junho. O preço mínimo será calculado "pelo ''PU PAR'' acrescido de ágio de 14%.

Tudo o que sabemos sobre:
mercadodólarfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.