Carlos Severo/Fotos Públicas
Carlos Severo/Fotos Públicas

Dólar fecha 2015 com alta de quase 50%

Moeda encerrou o ano cotada a R$ 3,9601, uma valorização acumulada de 48,9%; no final de 2014, a divisa era negociada a R$ 2,659; Bovespa fecha terceiro ano consecutivo com perdas

Silvana Rocha , Agência Estado

30 de dezembro de 2015 | 14h33

Atualizado às 19h19

SÃO PAULO - O dólar fechou 2015 com uma valorização de 48,9%, cotado a R$ 3,9601. Há exatamente um ano, a moeda americana era negociada a R$ 2,659. Esse salto de quase 50% ganhou um impulso nesta quarta-feira, última sessão do ano, quando a divisa chegou a ultrapassar a cotação dos R$ 4,00, em alta de mais de 3%. 

A cotação foi bastante influenciada pela disputa técnica dos investidores em torno da formação da taxa Ptax, que ficou em R$ 3,9048 (+1,44%). Essa briga em torno da taxa, que serve de referência para diversos contratos futuros (leia mais abaixo), acentuou a volatilidade.

"Não houve uma saída grande nem pontual na sessão que justificasse o salto da moeda", garantiu um operador de tesouraria de um grande banco que não quer ser identificado. Para a fonte, um pouco desse movimento foi especulativo em razão do giro baixo naquele horário (por volta das 14h) e parte dele refletiu reação ao pagamento pelo Tesouro Nacional de R$ 72 bilhões das "pedaladas fiscais" devidas, valor acima do esperado, de cerca de R$ 57 bilhões, já que contabilizou os números de 2014 e deste ano.

Com a realização dos leilões de linha de até US$ 1,4 bilhão pelo Banco Central a partir das 15h15, a moeda desacelerou. No fechamento, a valorização foi de 1,95%. Em dezembro, o ganho foi de 2,14%.

Para entender
A formação da Ptax
A formação da Ptax

O grande interesse em torno da Ptax justifica-se porque a taxa servirá na próxima segunda-feira como referência para a liquidação do dólar para janeiro e os ajustes dos contratos cambiais com vencimentos futuros subsequentes, além dos ajustes dos balanços corporativos relativos ao fim do exercício fiscal de 2015.O dólar Ptax acumulou valorização de 47,01% no ano - a terceira maior alta desde o início do plano Real, segundo a consultoria Economatica. O maior salto aconteceu em 2002, quando a moeda americana subiu 52,27%. Já a segunda maior valorização foi em 1999, com alta de 48,01%. Se for considerado apenas o período do governo PT, a valorização de 2015 é a maior já vista.No dia de formação da taxa, os investidores vendidos em contratos cambiais (bancos e fundos de investimento que apostam na baixa da moeda) tentam depreciar o dólar. Mas, de outro lado, os comprados nesses contratos (que apostam na alta de preço) pressionam a moeda, com o objetivo de maximizar ganhos ou minimizar eventuais perdas apuradas nessas posições.

"Contabilizado o impacto de baixa do fluxo cambial positivo recente e já definida a Ptax de hoje, o mercado ficou livre para se ajustar ao cenário econômico interno de incertezas", comentou José Carlos Amado, operador da Spinelli Coretora. O dólar também se fortaleceu à tarde no exterior, disse um outro agente de corretora, que viu correlação do movimento interno do dólar com o recuo acentuado do petróleo no exterior.

Bovespa. A Bovespa encerrou o último pregão de 2015 em queda, acompanhando os mercados no exterior, e sofreu sua terceira desvalorização anual seguida, diante do descontentamento do mercado com o cenário macroeconômico e político no Brasil.

Segundo dados preliminares, o Ibovespa caiu 0,70%, a 43.349 pontos nesta quarta-feira. O giro financeiro somava R$ 3,7 bilhões, bem abaixo da média do ano, de R$ 6,80 bilhões. Em dezembro, o índice perdeu 3,92% e, em 2015, caiu 13,31%

Mais conteúdo sobre:
dólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.