REUTERS/Brendan McDermid
REUTERS/Brendan McDermid

Dólar tem forte valorização global após declaração da Casa Branca

No Brasil, dólar fechou pregão desta quinta-feira, 15, cotado a R$ 3,28

Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

15 Março 2018 | 19h47

O dólar subiu ante a maior parte das moedas na sessão desta quinta-feira, 15, em reação a comentários do novo conselheiro econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, sobre o mercado de câmbio.

Em entrevista à TV CNBC, onde era comentarista, Kudlow se disse favorável a um dólar forte e comentou que não há razão para acreditar que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, também não seja. "Um grande país precisa de uma moeda forte", afirmou o economista.

+ Bolsa tem queda de 1,30% influenciada por prejuízo da Petrobrás

"Eu não estou dizendo que o dólar tem de subir 30%, eu apenas estou falando que o resto do mundo sabe que vamos manter a moeda de reserva internacional firme. Isso gera confiança", adicionou.

O dólar se aproximou do patamar de R$ 3,30, o qual não opera desde o final de 2017.

+ Montadoras alertam que tarifas de Trump vão elevar preço dos automóveis

O comentário causou a valorização da moeda americana de forma generalizada. A única exceção entre as moedas fortes foi a do iene, que se recuperou parcialmente das perdas recentes, quando foi penalizado por suspeitas de corrupção no gabinete do governo do Japão.

No final da tarde em Nova York, o dólar caía para 106,23 ienes, mas subia para 57,499 rublos. O euro caía para US$ 1,2308 e a libra cedia para US$ 1,3941.

Analistas do Commerzbank e a corretora OctaFX ressaltaram em relatórios os desafios de Kudlow vai enfrentar com o próprio Trump, que deseja impulsionar as exportações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.